Livro: A Lógica Inexplicável da Minha Vida

“Não parecia haver nenhuma lógica por trás do que as pessoas acabavam se tornando”

Como eu disse  no meu resumo sobre as leituras de Julho, esse foi um dos livros que mais gostei de ler. Ele é do escritor Benjamin Alire Sáenz, o mesmo que escreveu Aristóteles e Dante Descobrem o Segredo do Universo. Esse foi o livro de Junho do Turista Literário e tem 442 páginas.

O livro é narrado por Salvador, um garoto de 17 anos que mora com seu pai adotivo, que é gay. Esses dois detalhes são bem importantes para a história a medida em que vai mostrar um pouco sobre como é ser gay nessa sociedade, que ainda é muito preconceituosa. Mas a sexualidade dos personagens não são o foco principal dessa história, que explora mais as relações entre eles, a amizade, a família e o amor.

Continuar lendo

Resumo: Lidos em Julho de 2017

IMG_20170813_143401_756.jpg

Julho foi meu melhor mês em relação a leituras até agora. No começo do ano eu estava fazendo um intercâmbio, então só comecei a ler mesmo em Março, e em Julho eu tive férias de tudo, tanto do trabalho, quanto da faculdade e dos cursos. Então deu pra ler bastante. Foi nesse mês que eu decidi assinar o Kindle Unlimited, da Amazon, então li alguns livros por lá. Como são muitos livros, vou fazer o resumo do resumo para não ficar tão extenso.

  1. Um, Dois e Já
  2. Milha 81
  3. Contos de Imaginação e Mistério
  4. Vida e Proezas de Aléxis Zorbás
  5. Pax
  6. Lusco-fusco
  7. The Power of Responsibility
  8. O Hábito da Escrita em 21 Dias
  9. A Lógica Inexplicável da Minha Vida
  10. Contos Consagrados de Machado de Assis

Continuar lendo

Desisti do meu hábito da escrita

Se você tá acompanhando o blog, sabe que eu me propus seguir as atividades de escrita sugeridas pelo livro O Hábito da Escrita em 21 Dias, como forma de adquirir esse hábito. Mas estou desistindo disso agora. Não completamente. Acho que devo continuar fazendo uma atividade por semana, mas só isso. E vou dizer o porquê.

Por mais interessante que eu tenha achado a ideia (e as atividades), percebi que se tornaram mais uma obrigação do que um prazer. Eu passava o dia inteiro adiando aquela “tarefa” e só fazia assim quando via que não dava mais pra adiar.

Eu acho que é legal sim manter um hábito e até reservar um horário para escrever, mas acho que isso deve ser feito de forma mais natural, não tão forçada como eu estava fazendo. Por isso resolvi parar. Até porque eu só estava fazendo por fazer, para me livrar daquilo, então acho que é melhor não fazer – por enquanto – do que continuar fazendo mal feito.

O Hábito da Escrita: Dia 12

Tenho a sorte de poder dizer que já tive muitas experiências na vida e acho que uma das maiores dela foi a primeira vez que eu viajei “sozinha”. Digo sozinha porque foi sem ninguém da minha família, mas não foi completamente sozinha porque foi com um grupo.

Continuar lendo